top1

conjecturas_16


LANÇAMENTO

CONJECTURAS_POÉTICAS

Amigos,


No próximo dia 24 (outubro corrente), estarei promovendo o lançamento de "Conjecturas Poéticas", na Assis Editora, a partir das 20:00hs, conforme imagem abaixo. Sua presença aumentará a alegria de todos que participarão do evento.

CONVITE

Nota do autor

Em caráter propedêutico, de cunho mais demonstrativo do que sinestésico, costuram-se as linhas seguintes.
Rumando pela trilha antes eleita para “Devaneios” ,Sabor de Pecado e outras essências e “Solidão e Outras Tristezas , vem à luz o novo livro, “Conjecturas poéticas”, que talvez possa merecer a alcunha de bazar de poemas, tal a diversidade de temas abordados.
A obra distingue-se das demais pela inexistência de compromisso com uma linha mestra de assuntos, variando do lirismo para a filosofia, perpassando religião, temas sócio-políticos, outros ligados à natureza e ao poeta em si, para culminar num sensualismo mental. Há, sim, preponderância de um lirismo saudosista, possivelmente merecedor de adjetivação clássica, nada vulgar, que muito se aproxima da forma como a lascívia vem tratada. Longe a pieguice como ausente a nudez verbal explícita dos poemas pseudoconcupiscentes, dir-se-ia que, nesta obra, lirismo e erotismo fundem-se em temática única.
Em grau secundário, porém, relevante, exsurgem os poemas de patente filosófica, com acentuado fundo ético e moral. Deles integrante, mas como faceta distinta, ressalta a presença marcante do transcendentalismo, denotador da preocupação existencialista do autor, uma constante exteriorizada nos escritos precedentes, posto menos acirrada do que em Solidão e outras tristezas.
Engajado virtualmente na realidade sócio-política do país, impossível se tornara ao autor não deixar extravasar o desconforto com os desmandos políticos alimentados por um ideologismo obsoleto e pela corrupção gritante em todas as esferas de governo, à revelia de problemas cruciais que atormentam a sociedade brasileira, assim a insegurança, o desleixo com a saúde, a educação de péssima qualidade, a insuficiente infraestrutura necessária a um desenvolvimento sustentável, dentre outros. Nada de sectarismo político-partidário, mas um compromisso com a cidadania e o grito irônico de advertência para a necessidade de melhorias nos campos socioeconômicos para toda a população.
Impende, ademais, indigitar o lado cômico no trato com a morte, quiçá uma maneira de aliviar a permanente indigestão da efemeridade.
De modo geral, não há preocupação com métrica, embora presentes alguns poemas metrificados. A grande maioria são versos livres, todavia, quase sempre voltados para a rima. Verifica-se uma tentativa de imprimir cadência e fluidez aos versos, para tornar a leitura mais leve e melódica.
Conjecturas poéticas” é um trabalho simples, despretensioso, que vem acrescer o acervo publicado do autor, resultante, em suma, do vício inveterado adquirido com o hábito de escrever.
Que os poemas aqui insertos possam propiciar algum deleite a quem a eles tiver acesso. O autor. Uberlândia, julho de 2014

Editora Livre Expressão. RJ. 2010

Assis Editora. Uberlândia. 2012

Assis Editora. Uberlândia. 2013

BANNERC

 


 

direitos autorais de demasilva