top1

 

Elã
dema


Uma dor de adaga cravada no peito,
a ausência tua na minh’alma implanta;
dera Deus, à morte, tamanho direito
de roubar-te a vida e me levar ao pranto?


Ponho-me a pensar e nunca compreendo
esse elã estranho que impulsiona o ser;
depois, num piscar, o que se achava sendo
faz-se então inerte para apodrecer.


Eis que apavorante, desesperador,
é saber que hoje, talvez amanhã,
quem te alegra a vida, quem te dá amor,
irá te deixar sozinho no divã.


Será covardia querer ir primeiro
e assim evitar a dor da ausência tua
ou eu sobreviver, tendo a alma nua,
quando já estiveres noutro paradeiro (?)

Home

 

direitos autorais de demasilva